Aborto . . . NÃO !!! Defenda a Vida!

 3º )  No caso de gravidez decorrente de estupro, o aborto é lícito?

 

Resposta: - NÃO!!!

 

Todo ser humano tem direito à vida, desde o momento da concepção. Se a mãe foi vítima de violência, não pode o inocente ser a segunda vítima da violência do pai (pai???) 

 

O estupro é um crime, mas não é cometido pela criança. A criança, gerada por estupro é mais vitima do que a mulher estuprada!!! Quem deveria ser castigado é aquele que cometeu o estupro, isto é, quem tem de pagar por este crime é o estuprador e não a criança inocente, ou melhor, que tem de pagar por este crime é o estuprador e não a vítima!!!

 

No Brasil, não existe pena de morte para os culpados; ora, se não há pena de morte para os culpados, por que querer impor a pena de morte para os inocentes??? Ou pior por que querer impor pena de morte para as vítimas??? Isto é a quinta essência da injustiça!!!

 

Um segundo ponto a ser visto nesta questão é o de que todo aborto provocado acarreta terríveis traumas físicos e psicológicos na mulher, principalmente traumas psicológicos. Ora, o aborto não apaga o estupro; pelo contrário, acrescenta à primeira violência do estupro uma segunda violência, a do aborto, que é mais grave.

 

Portanto, querer apagar dessa maneira uma terrível violação, isso não é lógico. É simplesmente absurdo, irracional e, na realidade, o que faz é aumentar o trauma da mulher ao destruir uma vida inocente.

 

Assim sendo, por que penalizar duplamente a mulher? Além do mais, a vida do nascituro tem valor em si mesma, mesmo que tenha sido criada em circunstâncias tremendas. Circunstâncias essas que jamais poderão justificar a sua destruição. 

 

Um terceiro ponto a ser considerado é de que a gravidez resultante de estupro, segundo comprovação científica, é raríssima, pois em primeiro lugar a mulher não se encontra permanentemente em período fértil; e mesmo que o estupro ocorra no período fértil da mulher, a situação emocional, às vezes, até o pavor, contribui seguramente para que não haja concepção, pois há uma revolta de tal monta no organismo feminino que, em geral, acaba não sendo violado no sentido de gravidez.

 

Devemos notar que um exaustivo trabalho realizado em Mineapolis, Estado de Minnesota, EUA, durante dez anos, em 3500 casos de estupro registrados, em nenhum houve decorrência de gravidez.

 

Finalmente, devemos considerar três fatos ocorridos, um na África e dois na Bósnia:

 

Há alguns anos atrás, o falecido Papa João Paulo II definiu que sete freiras missionárias católicas que foram estupradas na África e que, engravidaram devido ao estupro, gerassem os bebês até o parto e depois os doassem a famílias de adoção. E assim foi feito.

 

O segundo fato é o conhecido estupro de mulheres muçulmanas bósnias por guerrilheiros sérvios, ocorrido há uns dois anos. Essas mulheres engravidaram, mas não abortaram, pois resolveram de livre e espontânea vontade, aceitar um apelo do Santo Padre, o Papa João Paulo II, feito por famílias croatas bósnias, que lhes pediram para que não abortassem.

 

Ora, os croatas, em sua esmagadora maioria, são católicos, e não se dão muito bem com os muçulmanos bósnios, embora sejam aliados; o Papa é o chefe espiritual dos católicos, portanto, é o chefe espiritual dos croatas. Contudo, as mulheres muçulmanas bósnias não hesitaram em aceitar o apelo do Papa.

 

Que vergonha para nós, católicos do Brasil! Nós, que nos julgamos o maior país católico do mundo (?), e que temos milhares de abortos por ano.

 

Será que as muçulmanas bósnias entrarão no céu antes de muitas católicas brasileiras? As crianças da Bósnia, frutos do estupro das mulheres muçulmanas bósnias por guerrilheiros sérvios, hoje são criadas por famílias croatas; não serão elas um hino de paz e amor, num antro de ódio e de guerra?

 

E, finalmente, o terceiro ponto é o do estupro de freiras católicas croatas, também por guerrilheiros sérvios. Essas freiras engravidaram, deram à luz às crianças e hoje cuidam dessas crianças.

 

Pode ser que para nós, se torne difícil aceitar esses fatos. Todavia, eles demonstram o amor de Deus. Para entendermos e aceitarmos esses três exemplos citados, exige-se fé, exige-se um testemunho de fé.

 

Uma criança fruto de estupro é, em si mesma, inocente! Nela permanece a imagem de Deus! Assassinarem esse bebê inocente é assassinar a misericórdia de Deus, que está viva nessa pequena vida e para quem Deus, apesar de tudo, também tem um plano de amor e bondade.

O mistério do aparecimento de um novo ser sobre a terra é um grande mistério. Havia dois seres humanos e, de repente, há um terceiro ser, um novo espírito completo, acabado, tal como jamais foi criado por mãos humanas, um novo pensamento, um novo amor. É muito impressionante. Não há nada maior no mundo!

                                                                                                                                                             Dostoievski

 

No céu você conhecerá as crianças que ajudou a salvar do aborto!

 

QUEM AMA NÃO MATA!!!

(lema da Sociedade Protetora dos Nascituros Imaculada Conceição de Maria)

Coração Imaculado de Maria Livrai o Brasil da Maldição do Aborto!!!
 
(jaculatória criada pelo Bispo Emérito de Anápolis – Goiás, para ser rezada quando se ora contra a legalização do aborto no Brasil )

Alexandre Luiz Antonio da Luz

Ex-Presidente da Sociedade Protetora dos Nascituros Imaculada Conceição de Maria - Movimento oficial de defesa da vida nascitura da Arquidiocese de Curitiba

 

Voltar    < - >    Pergunta Nº 4